O Farroupilha
  1. Home
  2. Artigo

A escola e o isolamento social (Parte III)

Na semana passada terminamos o texto com parágrafo que vou deixar logo abaixo para que possamos finalizar nossa reflexão sobre este assunto.

Algumas escolas estão ministrando aulas online em tempo real. Outras, mandando atividades para casa. Você está colocando um ponto final ou um ponto de interrogação? Está mostrando para seu filho que ele tem um universo pela frente, que pode pesquisar, perguntar, ter autonomia, aprender muito com essa nova forma de ensino ou está colocando um ponto final todos os dias, começando pela afirmação de que as aulas online não funcionam, que a criança está aprendendo menos. Será que ela está aprendendo menos porque não foi ensinada por ninguém a PERGUNTAR? Se ela perguntasse, pesquisasse, tivesse curiosidade... será que ela não estaria aprendendo MAIS?

Ninguém sabe quando será o retorno das aulas e como será o retorno das aulas. Muito se fala sobre repetir o ano, cancelar o ano letivo, recomeçar. Eu sei que é um assunto muito complexo pois obviamente temos crianças que não tem condições de estudarem sozinhas pois não tem os pais presentes, não tem recursos...muitas vezes, sequer têm alimento na mesa. Não estou discutindo aqui a situação dessas crianças nem defendendo o ensino online na rede pública pois sei que isso prejudicaria uma grande parcela de alunos. Eu estou falando daquele aluno que tem condições, tem internet, celular, notebook, condições plenas para desenvolver a autonomia, a curiosidade e que mesmo assim não está desenvolvendo. 

Vamos desenvolver nas crianças o sentimento de “quero mais” desde cedo. A profe mandou para casa uma atividade sobre pesquisar os nomes dos estados e suas capitais. Certamente com o nosso amigo google isso vai levar uns 5 minutos para encontrar, mais uns 5 minutos para escrever no caderno e lá se foi correndo para o videogame ou para o jogo do celular de novo. Que tal propor para ele pesquisar além daquilo que foi pedido? Quais são as comidas típicas de cada estado? Expressões que usam e são diferentes? Quantos habitantes tem? E assim seguem dezenas de possibilidades. Esse exemplo é simples e ilustrativo de como podemos ajudar a expandir a mente das nossas crianças neste momento para que isso seja um hábito de sempre e para que isso seja “normal”. 

Eu sei que não é nada fácil dar todo acompanhamento e todo suporte em casa. Os pais têm méritos enormes nisso tudo pois sem eles o que seria de todos nós? Mas pense nisso. Não seria um “trabalho” a mais... isso dará frutos para o resto da vida desse aluno. Isso fará a diferença no profissional e na pessoa que o seu filho (a) será no futuro.  Por isso, se você tem condições de ter aulas online. Agradeça. Não é um tempo “perdido”. É um tempo “ganho” se soubermos aproveitar.