O Farroupilha
  1. Home
  2. Artigo

Os riscos da desinformação

“O ignorante afirma, o sábio duvida e o sensato reflete.” 

Aristóteles

 


A Era da Informação é o período  sucessivo a Era Industrial, foi geradora da Sociedade da Informação e teve como consequência a criação da Economia do Conhecimento. O termo “Sociedade da Informação” é usado por alguns sociólogos para indicar a atual sociedade pós-industrial. Uma sociedade que se baseia no uso da informação, através da revolução digital, que proporcionou mudanças rápidas e drásticas na forma como pensamos a vida e os negócios. Realmente vivemos em um momento de muitas transformações, de um fluxo de opiniões e conhecimentos como jamais visto.

Mais do que nunca a digitalização, o trabalho a distância, a robotização e a inteligência artificial ocupam o espaço que foi exclusivo das pessoas. O trabalho atual se parece muito pouco com a forma mecânica adotada na Era Industrial. Na Sociedade da Informação, tanto o comércio quanto as comunicações se caracterizam por ser extremamente dinâmicas. O conhecimento é muito valorizado. Podemos dizer que o acúmulo de informação, muito em breve, terá o mesmo valor que tinha o acúmulo de patrimônio há pouco tempo.

Desde sempre, na história da humanidade, houveram aqueles que desejam dominar sem importar-se como. As trapaças, vigarices, enganos, burlas, enfim, as formas desonestas de alcançar o domínio e manter-se lá sempre existiram. Antigamente usavam-se da força física, da influência e retaliação, atualmente a fórmula  que os líderes desonestos usam para alcançar o poder e disseminar suas idéias em prol dos seus interesses, é a manipulação da informação. Eles adulteram, confundem, corrompem conteúdos, usam seu poder de influência e muito dinheiro para a desinformação das pessoas.

Um exemplo disso foram as declarações do ex Ministro da Cidadania, aspirante ao cargo de Ministro da Saúde, ao comentar o Isolamento Social e o tratamento que os governos Europeus estão dando ao combate da Pandemia do Covid-19. Ele contrariou a comunidade científica mundial, usou o exemplo da Itália sem ter o mínimo conhecimento do que está acontecendo por aqui, minimizando a letalidade da doença, fato que, num país sério, lhe renderia minimamente uma ação civil de crime contra humanidade. A sua ânsia por ocupar o cargo o incitou a desinformar a população e desonrar seu compromisso com a  medicina, mas, o  alinhou ao temerário Presidente da Nação.

Um líder honesto e positivo tem como missão o desenvolvimento pleno de sua equipe, de sua nação. Ele une e não divide o capital humano. É contrário a banalização e a ignorância. Informa e não desinforma. Entende que os resultados duradouros estão na boa aplicação do conhecimento,  que o aprendizado contínuo é imprescindível, e deve ser para todos.

Talvez essa “dura pausa”  causada pelo Covid-19 seja positiva para refletirmos ao que estamos inclinados.  Enquanto a desinformação nos torna primitivos, grosseiros, abomináveis e, até mesmo, repugnantes. A informação nos eleva, nutre a capacidade criativa e pensante, que nos diferencia dos demais animais. A  informação gera mais do que uma mudança social,  é uma mudança na condição humana. Ela determina o sucesso das pessoas e da economia mundial.