O Farroupilha
PATRÍCIA PERONI
A tragédia dos comuns e como ela acontece conosco

O nome “tragédia dos comuns” é o mesmo do famoso artigo do biólogo americano Garret Hardin, publicado em 1968. O sentido clássico da palavra tragédia diz respeito a impossibilidade de, uma vez em movimento, se alterar o curso dos acontecimentos. Nas tragédias gregas, o fim terrível é antevisto, mas nada pode ser feito para evitá-lo.

A tragédia dos comuns é uma versão coletiva de um problema básico da chamada teoria dos jogos: o dilema dos prisioneiros. A história é assim: Dois criminosos são presos por um delito leve, como roubar uma carteira. Mas a polícia desconfia que também estejam envolvidos em um assassinato. Eles são colocados em celas separadas. Cada um recebe a oferta de uma pena reduzida se denunciar o companheiro. O melhor para os dois é ficar quieto. Mas como não sabem nem têm controle sobre o que o outro vai fazer, acabam se traindo. O resultado é o pior possível, uma pena alta para ambos.

Diariamente existem dilemas, problemas e crenças que são prejudiciais ao mundo inteiro, sociedade, meio ambiente... Muitas decisões são tomadas sem pensar no coletivo e isso acaba se tornando uma tragédia, a tragédia dos comuns e nós não percebemos isso. Diante de todo o cenário negativo da nossa política, fica difícil entender por qual motivo, nós, cidadãos, devemos exercer a nossa cidadania enquanto todos fazem o contrário. Mas vamos fazer a diferença? Os resultados e atitudes de curto prazo podem trazer diferenças em longo prazo, por isso, vamos entender algumas atitudes que às vezes temos e que podem estar influenciando o nosso caminho. Vamos aos exemplos?

O primeiro diz respeito aos hipocondríacos. Se você, por exemplo, possui plano de saúde e por este motivo resolve fazer muitas consultas e exames desnecessários, pois, acredita que já que está pagando o plano e quer ter um bom custo X benefício, pode ser que você faça parte de um grupo muito grande de pessoas que fazem o mesmo e, por este motivo, a operadora do plano de saúde, percebendo o aumento dos custos aumentará o valor dos serviços e assim, todos ficam prejudicados.

Outro exemplo é a conta de água nos prédios e condomínios. Se você não paga a água pelo seu consumo individual e paga pela divisão de todos talvez não economize tanto já que a conta será dividida. No entanto, com todos os moradores pensando assim, no final do mês a conta de água será alta e acarretará em desperdício. 

Esses são dois exemplos simples, mas com eles é possível compreender muitas das coisas que acontecem no nosso cotidiano. Pense nisso! 

As abelhas e o mel

A metáfora dessa semana pode ser usada com as crianças pois faz referência ao mundo delas... no entanto, cai como uma luva para um dos maiores problemas que enfrentamos hoje em dia: a comunicação.

Equipadas com os seus respectivos cestos, as quatro abelhas estavam prontas para sair à procura de néctar, como normalmente faziam todos os dias. Mas alguma coisa estranha havia acontecido: não se encontravam flores em parte alguma. Sem flores, não há néctar. As pobres abelhas estavam desesperadas, com razão.
- Que faremos agora? Disse uma.

- Vamos morrer de fome! Exclamou a outra. 

Foi então que a terceira abelha descobriu uma caverna cheia de flores, cortadas e ali jogadas de qualquer maneira.

- Ei, companheiras! Aqui estão as flores! Gritou cheia de alegria.

No instante seguinte, chegou o urso, proprietário da caverna, que, ao ver as abelhas, quis expulsá-las logo dali.
- Que é que vocês estão fazendo aqui?

- Não tens o direito de colher todas as flores do bosque! Nós e muitos outros animais subsistimos graças a elas, protestou uma das abelhas.

Em vez de ficar ainda mais furioso, o urso desatou a chorar como um bebê, enquanto contava sua triste história:
- Vivo sozinho e abandonado por todos! Para me consolar, quis colher todas estas flores! São tão bonitas!
As abelhas tiveram pena dele e prometeram que viriam vê-lo todos os dias, desde que ele apreciasse as flores sem cortá-las. Assim, ele teria amigos e todos os animais poderiam continuar usufruindo do que a Natureza oferecia a todos. O urso concordou de bom grado. As abelhas tiveram néctar para fabricar o seu mel. E todos os animais ficaram contentes porque o bosque voltou a ficar florido.

Nada melhor do que o diálogo sincero para eliminar as dificuldades.

O hábito faz a rotina...

Hoje quero compartilhar com os leitores da coluna algumas ideias e constatações sobre os nossos hábitos do cotidiano. Um desejo de muitas pessoas é ter uma vida saudável através de uma alimentação equilibrada e de exercícios físicos. Normalmente essa rotina de alimentar-se bem e de se exercitar já é difícil, então, imagina nos dias frios como nos últimos... Nós, humanos, somos campeões no quesito procrastinação. Deixamos sempre para depois...ou para amanhã, ou para a semana que vem. Amanhã eu vou para a academia, semana que vem eu começo a “dieta” e assim seguimos num verdadeiro tudo ou nada.

O exemplo da vida saudável que mencionei acima é o que mais ouço no meu cotidiano, mas podemos aplicar em praticamente todas as áreas: ler, estudar, aprender algo novo, guardar dinheiro, fazer uma viagem, etc. Sempre temos as desculpas na ponta da língua para justificar a nós mesmos (acredite, justificamos a nós mesmos) os motivos pelos quais não fizemos o que deveríamos ter feito. Hoje eu não estudei, mas amanhã eu compenso e estudo o dobro. Hoje eu vou comprar essa blusa, mas no mês que vem não vou comprar nada...e esse dia ou mês nunca chega. Por isso, separei duas dicas simples que podem ajudar você a transformar um hábito em uma rotina:

 

TUDO OU NADA

Essa máxima não funciona quando queremos mudar um hábito ou concretizar um objetivo. Vamos pensar no exemplo da atividade física (que mais sofre agora no frio). Geralmente pensamos da seguinte forma: não vou fazer nenhum exercício hoje, mas amanhã compenso. E o que acontece? O amanhã chega e você não faz nada novamente, ou, faz menos do que o previsto e se sente culpado. Qual é a solução? Valorizar as pequenas conquistas. Quando queremos chegar num grande objetivo, temos que começar com passos pequenos. Se você está sem tempo, mais valem 15 minutos de exercício do que nada. Se você não pode ir até a academia, que tal usar o horário do almoço e caminhar por 30 minutos? Não gosta de esteiras? Que tal aproveitar e ir trabalhar caminhando ou de bike? Mais vale um “meio tudo” do que um “total nada”.

 

OBRIGAÇÃO

Por qual motivo não encaramos as nossas metas e objetivos como obrigações? Vamos trabalhar todos os dias, cumprimos nossas tarefas no trabalho, na faculdade, mas na nossa vida muitas vezes deixamos para depois. Encare as suas metas como uma obrigação. No começo será uma obrigação mesmo (uma coisa monótona, cansativa) mas depois que virar uma rotina, você vai sentir falta se não fizer. Se você precisa estudar, determine x horas por dia para isso, e cumpra, assim como cumpre os horários no trabalho. Se você precisa correr 3km naquele dia, corra. Assim como você faz quando precisa entregar um trabalho na faculdade. 

Todo o começo é difícil. Mudar hábitos é um dos maiores desafios que enfrentamos em nossas vidas. Estamos na nossa zona de conforto e mudar é difícil. Comece devagar e vá avançando dia após dia. Não tenha medo de ir devagar, tenha medo de estar parado. Coloque suas metas e objetivos no papel e todos os dias lute por eles. Eu sei que quando acordamos num dia super frio, cansados, a única vontade é de dormir um pouco mais. Mas, e se você tem um compromisso com a pessoa mais importante da sua vida? Por qual motivo deixa para depois? Faça agora e deixe para se orgulhar depois.

Um ato de amor em Farroupilha

Começou ontem a mostra fotográfica “Um ato de amor”. Esse título lindo nos remete a muitas coisas boas e a mostra fotográfica quer deixar registrado para todos os visitantes um dos primeiros atos de amor de uma mãe com seu filho (a): a amamentação. 

A mostra foi organizada pela La Piccola Fotografia pensando na seguinte justificativa: 
Cinquenta e quatro dias é a média brasileira de aleitamento materno exclusivo. Percebemos que esse número é muito alarmante, tendo em vista que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que até os seis meses o bebê se alimente apenas de leite materno e continue até os dois anos (ou mais).  

“Por conta disso, resolvemos organizar uma mostra fotográfica no mês de Agosto (agosto dourado), com o objetivo de mostrar como a amamentação é pura dedicação, carinho, contato e, principalmente, UM ATO DE AMOR.   Queremos incentivar mamães, grávidas e futuras mamães a amamentar, afinal esse ato vai muito além de alimentar, é nutrir de amor, afeto, e VIDA”, explicou La Piccola Fotografia.

Organização: La Piccola Fotografia  

Apoio: 
- Projeto Baby Afeto  
- Go Image encadernadora  
- Restaurante    Caminho do Trem  
- UCS campus Farroupilha  

Número de Mamães participantes do projeto:  22  

Contato: 9 9199-2785  
[email protected]  

Prestigie a mostra. Vá até o restaurante para ver muitos atos de amor, carinho e confiança. Tenho certeza que você irá se emocionar. Se você conhece alguma mamãe que está amamentando ou vai amamentar em breve leve-a para ver os belos registros também. Valorize está linda iniciativa. Uma sociedade mais consciente e com menos preconceito começa por nós. 

Duração: 
1 a 31 de Agosto 
Local: Restaurante Caminho do Trem 

Um ato de amor em Farroupilha

Começou ontem a mostra fotográfica “Um ato de amor”. Esse título lindo nos remete a muitas coisas boas e a mostra fotográfica quer deixar registrado para todos os visitantes um dos primeiros atos de amor de uma mãe com seu filho (a): a amamentação. 

A mostra foi organizada pela La Piccola Fotografia pensando na seguinte justificativa: 
Cinquenta e quatro dias é a média brasileira de aleitamento materno exclusivo. Percebemos que esse número é muito alarmante, tendo em vista que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que até os seis meses o bebê se alimente apenas de leite materno e continue até os dois anos (ou mais).  

“Por conta disso, resolvemos organizar uma mostra fotográfica no mês de Agosto (agosto dourado), com o objetivo de mostrar como a amamentação é pura dedicação, carinho, contato e, principalmente, UM ATO DE AMOR.   Queremos incentivar mamães, grávidas e futuras mamães a amamentar, afinal esse ato vai muito além de alimentar, é nutrir de amor, afeto, e VIDA”, explicou La Piccola Fotografia.

Organização: La Piccola Fotografia  

Apoio: 
- Projeto Baby Afeto  
- Go Image encadernadora  
- Restaurante    Caminho do Trem  
- UCS campus Farroupilha  

Número de Mamães participantes do projeto:  22  

Contato: 9 9199-2785  
[email protected]  

Prestigie a mostra. Vá até o restaurante para ver muitos atos de amor, carinho e confiança. Tenho certeza que você irá se emocionar. Se você conhece alguma mamãe que está amamentando ou vai amamentar em breve leve-a para ver os belos registros também. Valorize está linda iniciativa. Uma sociedade mais consciente e com menos preconceito começa por nós. 

Duração: 
1 a 31 de Agosto 
Local: Restaurante Caminho do Trem 

O que faz com que você se sinta bem?

Todos sabemos que sentir-se bem é necessário para que nossas ações cotidianas sejam levadas de uma forma tranquila e com motivação. Além disso, sentir-se bem faz parte ao nosso ser. Precisamos estar bem, precisamos nos sentir bem para que tudo ao nosso redor flua.

Hoje quero proporcionar uma reflexão. O que faz com que você se sinta bem? Você precisa saber responder a essa pergunta em menos de 5 segundos. Você precisa saber exatamente o que te deixa feliz e motivado para que sempre que precisar faça mais dessas coisas que te deixam bem.

Lembrando que essas coisas podem ser as mais variadas. Há pessoas que se sentem bem quando estão no conforto de suas casas, algumas se sentem melhor quando estão fazendo um passeio, outras quando estão com amigos, etc, etc. Tenho certeza que em dias que você está “negativo” pensa que não há nada que te deixe feliz, ou ainda, só pensa em coisas inatingíveis para aquele dia, por exemplo: eu estaria bem se estivesse na praia agora... eu estaria bem se estivesse de folga em casa... mas aquilo não é possível naquele momento. Então... temos que pensar em coisas que são possíveis de executar.  
 

Segue uma lista de dicas

- Observe as nuvens e tente dar formas a elas como fazia na infância;
- Ouça o som da brisa batendo em seu rosto;
- Durma ouvindo o barulho da chuva;
- Dê um passeio ao ar livre e respire o ar puro;
- Ande descalço sentindo o chão;
- Saboreie o seu prato favorito e seja grato a isso. Existem pessoas que não possuem recursos nem para ter uma alimentação de qualidade;
- Passe momentos felizes ao lado das pessoas que ama e agradeça por cada uma delas estarem em seu caminho;
- Pense em todas as coisas pelas quais você sente gratidão por ter em sua vida;
- Se lambuze tomando um delicioso sorvete;
Converse com você mesmo olhando para o espelho;
- Assista aquele desenho que você tanto gostava na TV;
- Aprenda a tocar um instrumento musical;
- Ouça uma música que você gosta;
- Dance sozinho;
- Faça pequenos exercícios diários como correr ou pular corda, por exemplo;
- Coma um delicioso chocolate;
- Liste pelo menos 5 coisas que você se orgulha em si mesmo;
- Dê um abraço em si mesmo e diga o quanto você é especial;
- Pense em todas as coisas que já conquistou por mérito próprio;
- Cuide do seu animal de estimação: dê banho, comida, abrace e brinque com ele;
- Ajude um amigo que está em dificuldades.

Coloque-as em prática! E seja feliz!!!

Vamos realizar o que planejamos?

Todo mundo sabe que nós estamos cada dia mais expostos a informações, atividades, compromissos... E todo esse estimulo acaba nos deixando “desnorteados”. Não sabemos o que fazer, nem quando fazer. A internet é uma “isca” perfeita para o foco. Quantas horas você passa na internet por dia pesquisando coisas que talvez não fossem importantes naquele período? Pense nisso.
Estamos sempre em movimento. Esse movimento exige organização e gerenciamento do nosso tempo, pois senão, ficamos com a sensação de que o tempo passou rápido e que não conseguimos concluir o que havíamos pretendido e ficamos com o sentimento de frustração.
Pense em quantas coisas você planejou para o mês de Junho e quantas delas você realmente concretizou. Isso pode ser assustador. Por isso, hoje quero compartilhar duas dicas simples que podem ser o primeiro passo para a realização dos seus objetivos e consequentemente de conseguir uma melhor qualidade de vida, vamos lá?
COLOQUE SUAS METAS EM UM PAPEL: quando você escreve e deixa visível todos os dias consegue estabelecer uma relação de compromisso com o desejo assumido. Escreva na sua agenda, na porta do quarto, na geladeira, no celular, no computador... Escreva em todos os locais que você acha que podem lhe ajudar. Assim você sempre será “cobrado” pelos bilhetes/anotações e as chances de realizar serão maiores.
ENCARE SUAS METAS COMO OBRIGAÇÕES: nós encaramos diversas atividades do nosso dia-a-dia como obrigações, não é mesmo? Que tal encarar as suas metas pessoais também como obrigações, ou seja, precisam ser cumpridas? Ler um livro, ir para a academia, ligar para agendar uma consulta, escrever um texto... Esses são só alguns exemplos de atividades que podem ser realizadas facilmente se não as deixarmos como “opcionais” em nosso cotidiano.
Gostou? Tenho certeza que você pode colocar elas em prática. São apenas duas dicas para que realmente sejam utilizadas. Espero que você consiga nesta próxima semana realizar o seu planejamento. Comece aos poucos, mas comece. Se não deu para concluir 100% tudo bem, mas o importante é ter feito mais coisas que você gosta e precisa do que na semana anterior. Uma ótima semama!

Vamos realizar o que planejamos?

Todo mundo sabe que nós estamos cada dia mais expostos a informações, atividades, compromissos... E todo esse estimulo acaba nos deixando “desnorteados”. Não sabemos o que fazer, nem quando fazer. A internet é uma “isca” perfeita para o foco. Quantas horas você passa na internet por dia pesquisando coisas que talvez não fossem importantes naquele período? Pense nisso.

Estamos sempre em movimento. Esse movimento exige organização e gerenciamento do nosso tempo, pois senão, ficamos com a sensação de que o tempo passou rápido e que não conseguimos concluir o que havíamos pretendido e ficamos com o sentimento de frustração.

Pense em quantas coisas você planejou para o mês de Junho e quantas delas você realmente concretizou. Isso pode ser assustador. Por isso, hoje quero compartilhar duas dicas simples que podem ser o primeiro passo para a realização dos seus objetivos e consequentemente de conseguir uma melhor qualidade de vida, vamos lá?

COLOQUE SUAS METAS EM UM PAPEL: quando você escreve e deixa visível todos os dias consegue estabelecer uma relação de compromisso com o desejo assumido. Escreva na sua agenda, na porta do quarto, na geladeira, no celular, no computador... Escreva em todos os locais que você acha que podem lhe ajudar. Assim você sempre será “cobrado” pelos bilhetes/anotações e as chances de realizar serão maiores.

ENCARE SUAS METAS COMO OBRIGAÇÕES: nós encaramos diversas atividades do nosso dia-a-dia como obrigações, não é mesmo? Que tal encarar as suas metas pessoais também como obrigações, ou seja, precisam ser cumpridas? Ler um livro, ir para a academia, ligar para agendar uma consulta, escrever um texto... Esses são só alguns exemplos de atividades que podem ser realizadas facilmente se não as deixarmos como “opcionais” em nosso cotidiano.

Gostou? Tenho certeza que você pode colocar elas em prática. São apenas duas dicas para que realmente sejam utilizadas. Espero que você consiga nesta próxima semana realizar o seu planejamento. Comece aos poucos, mas comece. Se não deu para concluir 100% tudo bem, mas o importante é ter feito mais coisas que você gosta e precisa do que na semana anterior. Uma ótima semama!

Vamos realizar o que planejamos?

Todo mundo sabe que nós estamos cada dia mais expostos a informações, atividades, compromissos... E todo esse estimulo acaba nos deixando “desnorteados”. Não sabemos o que fazer, nem quando fazer. A internet é uma “isca” perfeita para o foco. Quantas horas você passa na internet por dia pesquisando coisas que talvez não fossem importantes naquele período? Pense nisso.

Estamos sempre em movimento. Esse movimento exige organização e gerenciamento do nosso tempo, pois senão, ficamos com a sensação de que o tempo passou rápido e que não conseguimos concluir o que havíamos pretendido e ficamos com o sentimento de frustração.

Pense em quantas coisas você planejou para o mês de Junho e quantas delas você realmente concretizou. Isso pode ser assustador. Por isso, hoje quero compartilhar duas dicas simples que podem ser o primeiro passo para a realização dos seus objetivos e consequentemente de conseguir uma melhor qualidade de vida, vamos lá?

COLOQUE SUAS METAS EM UM PAPEL: quando você escreve e deixa visível todos os dias consegue estabelecer uma relação de compromisso com o desejo assumido. Escreva na sua agenda, na porta do quarto, na geladeira, no celular, no computador... Escreva em todos os locais que você acha que podem lhe ajudar. Assim você sempre será “cobrado” pelos bilhetes/anotações e as chances de realizar serão maiores.

ENCARE SUAS METAS COMO OBRIGAÇÕES: nós encaramos diversas atividades do nosso dia-a-dia como obrigações, não é mesmo? Que tal encarar as suas metas pessoais também como obrigações, ou seja, precisam ser cumpridas? Ler um livro, ir para a academia, ligar para agendar uma consulta, escrever um texto... Esses são só alguns exemplos de atividades que podem ser realizadas facilmente se não as deixarmos como “opcionais” em nosso cotidiano.

Gostou? Tenho certeza que você pode colocar elas em prática. São apenas duas dicas para que realmente sejam utilizadas. Espero que você consiga nesta próxima semana realizar o seu planejamento. Comece aos poucos, mas comece. Se não deu para concluir 100% tudo bem, mas o importante é ter feito mais coisas que você gosta e precisa do que na semana anterior. Uma ótima semama!

Vamos realizar o que planejamos?

Todo mundo sabe que nós estamos cada dia mais expostos a informações, atividades, compromissos... E todo esse estimulo acaba nos deixando “desnorteados”. Não sabemos o que fazer, nem quando fazer. A internet é uma “isca” perfeita para o foco. Quantas horas você passa na internet por dia pesquisando coisas que talvez não fossem importantes naquele período? Pense nisso.

Estamos sempre em movimento. Esse movimento exige organização e gerenciamento do nosso tempo, pois senão, ficamos com a sensação de que o tempo passou rápido e que não conseguimos concluir o que havíamos pretendido e ficamos com o sentimento de frustração.

Pense em quantas coisas você planejou para o mês de Junho e quantas delas você realmente concretizou. Isso pode ser assustador. Por isso, hoje quero compartilhar duas dicas simples que podem ser o primeiro passo para a realização dos seus objetivos e consequentemente de conseguir uma melhor qualidade de vida, vamos lá?

COLOQUE SUAS METAS EM UM PAPEL: quando você escreve e deixa visível todos os dias consegue estabelecer uma relação de compromisso com o desejo assumido. Escreva na sua agenda, na porta do quarto, na geladeira, no celular, no computador... Escreva em todos os locais que você acha que podem lhe ajudar. Assim você sempre será “cobrado” pelos bilhetes/anotações e as chances de realizar serão maiores.

ENCARE SUAS METAS COMO OBRIGAÇÕES: nós encaramos diversas atividades do nosso dia-a-dia como obrigações, não é mesmo? Que tal encarar as suas metas pessoais também como obrigações, ou seja, precisam ser cumpridas? Ler um livro, ir para a academia, ligar para agendar uma consulta, escrever um texto... Esses são só alguns exemplos de atividades que podem ser realizadas facilmente se não as deixarmos como “opcionais” em nosso cotidiano.

Gostou? Tenho certeza que você pode colocar elas em prática. São apenas duas dicas para que realmente sejam utilizadas. Espero que você consiga nesta próxima semana realizar o seu planejamento. Comece aos poucos, mas comece. Se não deu para concluir 100% tudo bem, mas o importante é ter feito mais coisas que você gosta e precisa do que na semana anterior. Uma ótima semama!