O Farroupilha
ALEXANDRE BROILO
A Lei do retorno

“Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida com que tiverdes medido vos medirão também” (Mateus 7:2); “... o que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7) 

A lei do retorno está nas relações humanas; na biologia de nossa criação; no universo atômico e astronômico; na esfera material  e espiritual; está intimamente relacionada com os estudos de causa e efeito e ação e reação, de forma sincronizada. Em cada camada do universo é possível reconhecer a lei do retorno, como uma verdadeira lei científica, que pode ser medida e mensurada.

Na neurociência, por exemplo, há os estudos sobre o neurônio-espelho. O ser humano interage, inconscientemente, através de neurônios-espelho, que, por natureza, fazem com que repitamos tudo o que vemos, escutamos, tocamos e sentimos.

Na psicologia, é possível  mensurar a lei do retorno através do pensamento associativo. Um fato ou circunstância no presente podem evocar uma lembrança e gerar uma reação ligada a um fato vivido no passado. 

Na fisiologia, este efeito se reproduz através da troca de hormônios neurotransmissores. Se emanarmos atenção e amor, receberemos estes sentimentos em forma de serotonina; se emanarmos ódio, receberemos o ódio e perderemos serotonina.
Na física, a lei do retorno pode ser diretamente associada a lei da gravidade e da ação e reação. Tudo o que sobe, desce, e, tudo o que vai, volta, desde o campo microscópico até o macroscópico.

Nas relações humanas, vivenciamos todos estes fenômenos naturais, em um contexto psicológico e social. Recebemos na medida em que nos doamos. Em nosso corpo, nossos sistemas psicológico, neurológico, endócrino e fisiológico estão emaranhados em um mesmo sistema. Tudo que pensamos produz resultados físicos, e tudo que fazemos produz resultados psicológicos.

A realidade nos retorna tudo, em pequenas e grandes escalas; em curtos e longos prazos; de forma consciente e inconsciente; mensuráveis e imensuráveis; na esfera física e, ao mesmo tempo, espiritual.

Algumas pessoas em função das suas profissões ou “autoridade adquirida”, geram uma síndrome de Deus, e, cedo ou tarde, o universo se encarrega de mostrar quem realmente são, pois, Deus só existe um. Como diz o Rei Salomão: 

A soberba precede à ruína; e o orgulho, a queda. (Provérbios 16:18)

É preciso refletirmos diariamente sobre tudo que pensamos, sentimos, escrevemos, falamos e fazemos, pois, tudo isso gera consequências na nossa vida.  A humildade gera respeito enquanto a soberba gera desprezo. E se fores um mandatário e desejares que alguém vá a um lugar, cuidado, pois, certamente, terás que ir para lá primeiro. Não há como  escapar da Lei do Retorno.

As características imprescindíveis de um líder

Napoleon Hill foi um escritor estadunidense que dedicou mais de 20 anos de sua vida entrevistando e investigando grandes vencedores, e suas carreiras, a fim de isolar e identificar as razões pelas quais tantos e tão poucos conseguem alcançar o êxito. Foi assessor pessoal de dois presidentes dos Estados Unidos, Woodrow Wilson e Franklin Roosevelt, e dentre as personalidades que  entrevistou e estudou estão: Thomas Edison, Alexander Graham Bell, Henry Ford, Theodore Roosevelt e John D. Rockefeller. 

Segundo Napoleon Hill as seguintes características são imprescindíveis para a liderança exitosa, ou seja, a falta de alguma delas leva o líder ao fracasso.

Coragem inabalável. Baseada no conhecimento de si próprio e no domínio da sua profissão.

Autocontrole. Uma pessoa que não consegue se controlar nunca conseguirá controlar os outros. O seu autocontrole servirá de exemplo para os seus seguidores, e os mais inteligentes entre eles irão imitá-lo.

Sentido de justiça. Sem um sentido de equidade e de justiça nenhum líder pode exigir e manter o respeito dos seus seguidores.

Precisão nas decisões. Aqueles que vacilam nas decisões mostram que não  podem liderar os outros com êxito.

Precisão nos planos. Os líderes de sucesso devem planejar cautelosamente o seu trabalho e trabalhar nos seus planos. 

O hábito de fazer mais sem ser pago para isso.  Um líder sempre se dispõe  a fazer mais do que aquilo que exige dos seus seguidores.

Uma personalidade agradável. A liderança exige respeito. Os seguidores não poderão respeitar um líder que não tenha uma personalidade agradável.

Apoio e compreensão. Os líderes de sucesso devem estar em harmonia com os seus seguidores, compreendê-los e compreender os seus problemas.

O domínio dos pormenores. Uma liderança de sucesso é minuciosa em tudo.
Responsabilidade. Os líderes de sucesso assumem as responsabilidades pelos erros e pelas falhas da sua equipe. Se um dos seus seguidores cometer um erro ou for incompetente, deve considerar isso uma falha sua.

Cooperação. Um líder de sucesso compreende  e aplica o princípio do esforço conjunto e é capaz de levar os seus seguidores a fazer o mesmo. A liderança exige poder, e o poder exige cooperação.

Se você é um líder ou está sendo liderado por alguém quem não possua estas características, preste atenção, pois, estás  fadado ao fracasso. Aliás, se desejas alcançar o êxito pleno, antes de qualquer coisa, permita- se guiar pelo Espírito Santo de Deus, pois somente através dELE, o alcançarás. Pode acreditar. Uma ótima semana a todos. Que Deus vos abençoe!!!

O Líder e o Déspota

“A boca fala 
do que esta cheio o coração.” 

Mateus 12 : 34

A qualidade fundamental de um  líder é o respeito. A competência, o domínio próprio, os propósitos compartilhados e a humildade  geram grandes líderes. O orgulho gera a sua ruína, e a humildade é a sua principal virtude. Humildade e soberba, não coexistem na mesma pessoa, é impossível. Algumas pessoas conseguem  disfarçar suas características pessoais, mas, nos momentos críticos as características profundas do ser vem a tona e revelam sua verdadeira identidade.

As  história conta a ascensão e queda de “líderes” que se creiam iluminados, benfeitores da humanidade, mas, verdadeiramente não passavam de egocêntricos, manipuladores da boa fé do povo, para satisfação de seus sonhos exóticos. Impunham sua vontade, suas manias, em detrimento da satisfação das reais necessidades dos seus liderados. Déspotas, escutam  aqueles que os apoiam  e anulam  aqueles que os questionam ou contrapõem.  Seus aliados, súditos,  fiéis escudeiros a cambio de privilégios e extravagancias, fazem o trabalho sujo, importando-se minimamente com o mal que estão fazendo.

O poder  instiga a  vaidade e  torna-se uma tentação, um desejo incontrolável,  poucos são os que sobrevivem a ele. Cedo ou tarde o poder  traz a luz  os segredos da alma, è apenas uma questão  de permanência no  poder para a verdade ser revelada. A profunda reflexão entre a soberba e a humildade, o fadigoso exercício  de reconhecimento, arrependimento e  correção, e a difícil escolha entre cultivar o bom ou o mau caráter, deveriam ser  ações continuas daqueles que  almejam o poder e liderar.

 

“O que sai do homem é que o torna impuro. Pois do interior do coração dos homens vêm os maus pensamentos,..., o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, a arrogância e a insensatez. Todos esses males vêm de dentro e tornam o homem impuro.” 
Marcos 7 : 20-23 

“O coração humano é a coisa mais enganosa que existe, e extremamente perverso. Quem realmente sabe o quão ruim é? Mas eu, o Senhor, investigo todos os corações examino as intenções secretas. Eu dou toda a devida recompensa, como suas ações merecem.” 
Jeremias 17: 9-10


“Os lábios do rei falam com grande autoridade; sua boca não deve trair a justiça”. 
Provérbios 16:10 


Um líder deve fluir no amor, estar cheio do Espirito Santo, promover o  entendimento. Deve reconhecer seus erros e limitações. Persuade através  da sua sabedoria, e bons resultados, trabalha em equipe e divide o mérito. Um líder não  manda ninguém  à um lugar ruim, nem mesmo se ele já tenha ido lá primeiro. Um líder não age por egoísmo ou por vanglória, mas sim,  com atitude humilde e considerando o outro mais importante que a si mesmo.

Lições da Itália

A Itália é um país lindo, possui um território riquíssimo pleno de recursos naturais, de clima e topografia variada. A parte continental e delimitada pelo Arco Alpino, de oeste, norte a este faz divisa com a França , Suíça, Áustria e Slovenia, o resto do território é costeada pelo mar da Ligúria, Tirreno, Ionio e Adriatrico.  É possessora das montanhas Dolomitas, dos Lagos de Garda, Como e Maggiore, possui duas ilhas no mar Mediterrâneo, a ilha da  Sardenha e a ilha da Sicília. 
Foi terra de imperadores, sendo Roma a capital do Império Romano que se consolidou na área euro-mediterrânea entre o I século A.C e o IV Século D.C,   e da revolução intelectual do mundo ocidental que influencia o pensamento moderno até os dias atuais com o Renascimento tendo sua capital em Florença no século XV. Veneza foi a capital da República Serenissima que  era a capital mundial do comércio entre o século XIII E XVI. Na época o idioma italiano era o mais falado no mundo. A Itália influenciou profundamente a cultura ocidental.
Depois da  Grande Guerra da Itália, uma série de conflitos travados no território italiano visando a supremacia a Europa entre 1494 a 1559, a Itália se torna sujeita a hegemonia das potência  estrangeiras entre elas a França , Espanha e Áustria. Somente após o período do Ressurgimento, um movimento cultural, político e social em busca de indenidade unitária italiana,  culminando em 17 de março de 1861 é Estabelecido o Reino da Itália. O “Ventennio fascista”, de  29 de outubro de 1922 a 25 de julho de 1943, período de domínio fascista de Benito Mussolini com participação na 2ª Guerra Mundial que deixou os italianos numa condição econômica, política e social precária e muito difícil e acarretou o fim do Reino da Italia. Apos a 2ª Guerra Mundial, a Guerra de Liberação e do referendo institucional, em 1946, o Estado Italiano se torna uma República Parlamentar. 
No ano 2013 a Itália era a oitava potência econômica do mundo e a quarta a nível europeu, e um país com um alto nível de vida IDH 0,887. É membro fundador da União Europeia-UE, membro do G7 e do G20. Juntamente com a China a Itália goza do maior número de lugares declarados  patrimônio da humanidade e é o quinto país mais visitado do mundo. Possui cerca de  60, 4 milhões de  habitantes (censo de 31/12/2018), é o quarto país mais populando da UE atrás da Alemanha, França e Reino Unido. A densidade demográfica é a mais alta da EU com 199,82 habitantes por Km2.
A Itália é um país de batalhas e revoluções, formado por derrotas e vitórias, cuna da história ocidental. Pode se aprender muito através da história da Itália. Os italianos são  trabalhadores  e hospitaleiros  e com uma grande propensão ao auxílio. Mas isso não basta. Atualmente a Itália está sofrendo pela massiva  fuga de cérebros, jovens e adultos que deixam o país em busca de emprego, cerca de 1 milhão de jovens laureados  nos últimos 4 anos deixaram a Itália,  cifras equiparáveis ao pós guerra, em 1950. O sucateamento das infraestruturas públicas, a imigração asiática e africana, a falta de programas de integração sociocultural e a proliferação do subemprego, contribuem para o desconforto no país.
A Itália ainda é  um dos melhores países do mundo para se viver está a anos luz da violência vivida na América latina e Africa. Apesar de todo o seu esplendor  o país vê o seu futuro comprometido a causa de políticos  corruptos,  mentirosos de vocação, que alçam discursos “Cristãos”, mas, não tem Deus no coração e  muito menos em suas ações.
“Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!” Jeremias 17:5

O Nascimento de Cristo em nós

Faço parte de um grupo de oração e estudos bíblicos. Inicie o meu aprofundamento nos ensinamentos cristãos a partir de um sério exame de consciência que revelou vários erros que cometia, atitudes que nem eram consideradas graves, consideradas por mim e alguns como legais e de distinção, mas que na verdade continham um grande potencial para a degradação do meu caráter. Estou aprendendo que só existe conquista duradoura, regojizo genuíno e paz quando são advindas de Deus.

O único santo sobre a terra foi Jesus Cristo.  Todos nós em determinado momento fizemos algo errado que tenha prejudicado alguém ou a nós mesmos. Isso não quer dizer que, pela força do entorno, devemos nos conformar e aceitar aquilo que faz mal e prejudica, e seguir errando, mas, também não podemos nos sentir eternamente culpados, indignos de perdão e correção e não buscar uma mudança. Ao entendermos isso já temos uma forma de revelação da Santíssima Trindade, Deus, Jesus e Espírito Santo. É fundamental sabermos que Deus é misericordioso, que ele não tem o intuito de culpar-nós e punir-nos, pelo contrário, a sua intenção é curar-nos e elevar-nos. 

A história e a atualidade demonstram inúmeros casos de completo restauro e alcance de plenitude que foram realizados em cenários e circunstâncias impossíveis, através da ação Divina. A nossa racionalidade nega e o nosso egoísmo não aceita. O orgulho  faz com que cremos ser auto-suficientes que tudo é fruto da nossa capacidade, influência e domínio.. Sim, temos poder e somos muito capazes e influentes, mas, se não estivermos orientados por Deus, todo esse poder, capacidade e influência nos levará a alguma forma de fracasso. A soberba precede a queda. Toda e qualquer conquista, se não estiver permeada e ungida por Deus, cedo ou tarde encontrará sua ruína. Isso é lei de vida.

Temos que nos aproximar de Deus e buscá-lo de forma efetiva, através  da intimidade, do profundo conhecimento da sua palavra e de uma real conversão. Falar de Deus é edificante e honroso, mas deve ser feito com muita humildade e responsabilidade e jamais com o intuito de sentir-se um santo ou  buscar benefícios com isso. Aliás, está tem sido uma estratégia do maligno, ele usa falsos profetas, líderes injustos, seitas e religiões como embaixadores de Cristo com o intuito de denegri-lo e afasta-lo das pessoas. O diabo existe, tudo que é mau e prejudica advém dele, ele é o pai da mentira, sedutor por excelência, um serial killer, que tem como objetivo matar, roubar e destruir. 

Analisar os nosso objetivos e o nosso comportamento nos põe em crise, mas é a partir dessa crise, do confronto de valores, que descobriremos com quem estamos alinhados. Nunca é tarde para recomeçar. Deus nos capacita, Jesus nos ensina e o Espírito Santo nos guia. Ele é um Deus de vida, vitórias e conquistas. Se buscamos uma vida em abundância devemos celebrar o nascimento de Jesus Cristo dentro de nós.  
Tudo posso em Cristo que me fortalece. FP 4:13

Feliz Natal!!!

É sábio ouvir os mais velhos

A busca pelo conhecimento, na minha opinião, sempre será a melhor das aventuras. Nesse particular e incessante objetivo tenho descoberto muito, mas, a medida que vou adquirindo saber, percebo o quão pouco sei com relação ao universo a ser conhecido. Já dizia o grande filósofo Sócrates, um dos homens mais sábios da história : “Só sei que nada sei”, admitindo sua ignorância em determinados campos do saber. No ímpeto de diminuir a minha ignorância sigo a fundo na minha viagem antropológica pela Itália.
Um fato surpreendente, pra não dizer chocante,  é ouvir turistas ao retornarem de suas viagens de semanas ou meses, breves visitas a países de civilizações milenares, afirmarem com convicção  a forma de ser e existir nos lugares visitados. Vivi na Europa por mais de uma década, tenho muitos amigos europeus de diferentes nacionalidades, me inseri na cultura local,  mas, não me atrevo a definir com precisão nenhum povo e ou local onde estive, dada a complexidade geo-política-ambiental dessas sociedades milenares. Claro que as experiências geram percepções, racionais e emocionais, memórias daquilo que experimentamos. 

Minha experiência, me deu algumas percepções gerais, dos povos que conheci, por exemplo, é muito comum ouvir que os franceses são grosseiros, eu diria que é bem o contrário, um dos meus melhores amigos é francês, da cidade de Lion, e a pessoa mais bem educada e cordial que eu conheço. Os espanhóis são rudes, eu não diria isso, eles são diretos e francos, um povo nobre. Os alemães são frios, quando calculam e planejam eles são precisos, mas, quando estão de folga, são muito divertidos. Assim, cada povo e local tem suas características predominantes, mas não determinantes, e não podem ser definidas com uma visita de dias ou meses.

Tratando-se da Itália, e sua presença marcante na nossa vida, sabemos algumas coisas a respeito desse povo que deu origem a muitas regiões do Brasil. A Itália passava por uma grande crise de emprego na segunda metade do século XIX gerada principalmente pela industrialização do país. Grande parte dos italianos que migraram para o Brasil eram de origem humilde, principalmente dê regiões rurais da Itália. O Brasil era visto como a terra das oportunidades, pois, o país precisava de mão de obra para trabalhar nas lavouras e posteriormente fomentar a indústria, muitas das quais nos orgulham até hoje. No nosso caso, no Rio grande do Sul,  os imigrantes italianos se concentraram principalmente na região da Serra Gaúcha, tendo a cultura da uva e do vinho, e a posteriori, a indústria como principal atividade.  Quando se visita a Itália é  muito interessante ver como essas regiões  se assemelham, não somente no comportamento, mas também, nas características geográficas, de clima e superfície. 

O Museu histórico Trentino dedica uma parte bem relevante a Arqueologia das Escrituras Popolíticas, um vasto universo de guerra, um banco de dados de trentinos sufistas antifascistas, onde é possível pesquisar os nomes dos soldados que foram oponentes do fascismo, que formaram tropas militares na Segunda Guerra Mundial,  conhecidos como a Resistência Trentina. Outra curiosidade é ver sobrenomes das primeiras famílias “farroupilhenses” expostos nas praças das cidades em memoriais aos caídos em defesa da Itália em diferentes batalhas, inclusive da 1ª e 2ª guerra mundial. 

A Itália, desde sempre,  foi muito marcada pela violência e pelas guerras, hoje, em função disso na Italia valoriza-se muito a vida,  os conflitos se restrigem ao campo das ideias, não se fala em armas e muito menos em mortes. As decisões não são tomadas de forma precipitadas, pelo contrario, são debatidas exaustivamente. Existem problemas, mas estão na pauta urgente para serem resolvidos. Um povo que sofreu com as adversidades mas que resistiu através da valorização folclórica, o desenvolvimento intelectual e o trabalho. São um povo que sabe viver. Como diz o ditado: “ É sábio ouvir os mais velhos.”

Vicenza

Esta semana decidi conhecer a localidade que deu o nome original da cidade de Farroupilha, pois, antes que se chamara assim, o Berço da Imigração Italiana no Rio Grande do Sul, tinha como nome Nova Vicenza. Como adoro o ciclismo, e por aqui todo mundo pedala, decidi fazer o percurso de Verona a Vicenza em bicicleta. Foram 51 km de pleno desfrute pela Ciclabile I1, uma da inúmeras ciclovias da região do Vêneto.

Viajar de bicicleta é uma forma de turismo sustentável que oferece cenários inesperados. No Veneto, aliás em toda a Itália, as ciclovias permitem que você entre em contato com arte, cultura, gastronomia e belezas naturais com plena segurança. Andar de bicicleta por aqui é muito comum, uma atividade feita por pessoas de todas a idades e com os mais diversos propósitos.

O itinerário da E1 oferece uma visão geral da riqueza de história e tradições que caracterizam as províncias de Verona, Vicenza, Pádua e Veneza. Saindo de Verona, encontram-se exemplos de arte românica-veronense e as terras dos bons vinhos Bardolino e Valpolicella, paisagens repletas de oliveiras, macieiras e outros cultivos de ortifrutigranjeiros, além dos testemunhos da antiga nobreza, graças às esplêndidas vilas paladianas ao aproximarmos de Vicenza. E Manbrotta, pequena localidade produtora de maçãs, uma auspiciosa surpresa ao ver uma placa indicando a Via Girelli, me fez lembrar dos meus queridos amigos Milton e Olivo Girelli, produtores de ortifrutigranjeiros na Linha Jacinto, distrito da antiga Nova Vicenza.

Vicenza é uma cidade italiana de 110 647 habitantes, e como região, incluindo os distritos e áreas rurais, é a quarta em número de habitantes, depois de Veneza, Verona e Pádua, com cerca de 240.000 habitantes.
Vicenza é apelidada como “a cidade de Palladio”, e um marco do Renascentismo, pela extraordinária contribuição arquitetônica e artística do arquiteto Andrea Palladio pela explodida beleza e valor histórico ela foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

A cidade é um dos centros industriais e econômicos mais importantes da Itália, com alta renda per capita e o coração de uma província repleta de pequenas e médias empresas, cujo tecido produtivo é há anos o terceiro maior ponto de vendas de exportação da Itália, impulsionado principalmente por setores de engenharia, têxtil e ourives. Este último atinge mais de um terço do total de exportações de ouro, tornando Vicenza a capital italiana do processamento de ouro.

A Itália foi gravemente marcada pela corrupção política. Recentemente o país viveu um período de ódio e soberba que gerou um alto nível de evasão de capital intelectual e uma grande taxa de desemprego, período breve, mas nefasto, ao mando do governo de extrema direita do destituído Matteo Salvini. O novo governo Italiano, presidido por Giuseppe Conte, iniciou uma campanha focando na educação, capacitação e aproveitamento do capital humano, tendo como foco a valorização da história, fortalecimento da cultura, fomento à inovação e desenvolvimento do trabalho. Uma Itália ecologicamente correta e de vanguarda tecnológica.

Quinzano - Uma pérola ao norte de Verona

As colinas de Verona que precedem Valpolicella escondem dois belos vales profundos ocupados por belas aldeias: Avesa e Quinzano. Quinzano fica a três quilômetros de Verona, mas a atmosfera pitoresca do local faz com que se pareçam trinta. O ar fresco e as paisagem oferecem passeios maravilhosos. Quinzano tem uma parte antiga com duas ou três casas senhoriais e um pequeno, mas belo castelo histórico, o local é pouco tocado pela urbanização moderna. Subindo as encostas das colinas há vistas deslumbrantes da cidade e dos arredores de Verona.

Incorporado no Reino da Itália com todo o Veneto em 1866, Quinzano formou um município independente até 1927, ano em que se tornou parte do município de Verona. Atualmente tornou-se um bairro habitado por 3.361 pessoas. A pequena localidade tem uma grande importância como centro pré-histórico: uma das principais descobertas mundiais da paleontologia refere-se à descoberta, na localidade de Villa di Quinzano, de um osso occipital humano que remonta ao Paleolítico, de esqueletos neolíticos e outros vestígios que atestam a presença humana em Quinzano em todos os períodos, desde o início do Paleolítico até a era romana.

Na Piazza de Quinzano, na fachada da antiga prefeitura, encontra-se uma lápide que documenta que ali viveu o cientista e inventor Enrico Bernardi, um dos arquitetos do moderno motor endotérmico. Seu protótipo de carro, que alguns acreditam ser o primeiro veículo movido a gasolina construído no mundo, circulou pela primeira vez nas ruas de Quinzano no verão de 1885.

A torre sineira da igreja paroquial e a de San Rocco abrigam dois complexos de 6 sinos nos quais os concertos dos Sinos de Verona ainda são realizados hoje. Estar nessa localidade é um verdadeiro deleite, as casas ficam com as portas abertas, bem como os veículos, as pessoas são muito simpáticas, não é difícil fazer amizade e iniciar uma boa conversa. As campanadas melódicas dos sinos orientam as horas, pelas manhãs os galos competem com os sinos o anúncio do amanhecer. Por aqui é bem comum ouvir o dialeto vêneto sendo falado pelos mais antigos.

Os italianos são muito orgulhosos dos seus feitos e das contribuições que tiveram para a humanidade, optam pelo belo, mas também têm consciência dos erros cometidos. Em meio a este cenário idílico, dois fatos chamaram a minha atenção: a manifestação de um grande grupo de italianos que se diziam estarrecidos e envergonhados pelo fato do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, ser de origem italiano e veneto; e o outro, foi ter visto vários cartazes, no caminho de Quinzano à universidade, com a seguinte manchete: L’Amazzonia Bruccia – A Amazônia Queima. Alertando a população da tragédia que está acontecendo no Brasil e estimulando a conscientização para a preservação do meio ambiente por aqui.

Matteo Salvini com seu discurso de ódio, fomento à segregação social e seus devaneios de onipotência, parecidos, mas bem inferiores, ao do Jair Bolsonaro, caiu do poder. Os políticos italianos, estavam muito preocupados com o que poderia acontecer com a Itália se Salvini continuasse governando o país. A repercussão da postura imatura e nada ética do presidente brasileiro está gerando uma grande comoção na Comunidade Europeia, fala-se em restrições às importações de produtos brasileiros, e questiona-se se ele faz bem para o Brasil e o mundo. Com certeza por aqui ele não é considerado um bom filho e esta longe de ser uma pérola de Verona. 

A Terra plana

A teoria da Terra plana tem séculos e séculos de existência. Astrônomos de grandes civilizações antigas, como Grécia, China e Índia, defendiam que a Terra era achatada. Era o padrão que todo mundo seguia. No século 6 a.C., o filósofo grego Pitágoras, já falava que o planeta era redondo. No século 16 o astrônomo polonês Nicolau Copérnico (1473-1543), desenvolveu a Teoria Heliocêntrica, que diz que o Sol está no centro do Universo, não a Terra. Depois, o italiano Galileu Galilei (1564-1642) fez uma série de descobertas, como estrelas na Via Láctea e os anéis de Saturno, que reforçaram o heliocentrismo.
A Igreja Católica, para não perder o seu poder, não tolerava a ideia da Terra não estar no centro de tudo entrou em atrito com ele, obrigou Galileu admitir publicamente que estava errado, e o mantiveram preso. No dia 31 de outubro de 1992, 350 anos após sua morte, o papa João Paulo II reconheceu os enganos cometidos pelo tribunal eclesiástico que condenou Galileu Galilei à prisão. Galileu foi um personagem fundamental na Revolução Científica do século 17. 
A ignorância aliada ao poder é a arma mais poderosa contra a humanidade. O fomento à ignorância sempre foi uma das formas usadas para manter o povo escravo de seus governantes. O mundo subdesenvolvido é usuário dessa técnica vil de governar. O lema é: mantenha o povo inculto, engane-o, iluda-o com trivialidades, divida a sua opinião, mantenha-o subservil, na condição de sobreviventes, e, então, o dominarás.
Estamos vivendo uma ode à ignorância jamais vista. Cientistas, intelectuais de renome mundial alertaram o quão perigoso seria eleger Jair Bolsonaro presidente. A opinião a respeito da sua falta de qualificação, da sua carreira política irrelevante e de suas práticas obscuras foram unânimes.
Atualmente, chefes de estado das nações mais humanitárias e desenvolvidas do mundo, se escandalizam com o comportamento bárbaro de Bolsonaro. Angela Merkel descreve situação sob Bolsonaro como dramática. A Chanceler federal alemã diz ver com preocupação questão dos direitos humanos e proteção ao meio ambiente no Brasil. Bolsonaro, por sua vez, acredita que fritar hambúrguer e balbuciar a língua inglesa é requisito suficiente para seu filho assumir a embaixada Brasileira nos EUA. Demite, esculacha, ameaça e humilha quem diverge de suas opiniões sem fundamento.   “Ele é autêntico”, aplaudem seus eleitores.
Recentemente o presidente se comparou a um personagem de desenho animado: “Eu, o JOHNNY BRAVO, Jair Bolsonaro, ganhou, porra! Ganhou PORRA!” 
Johnny Bravo é um personagem burro ao extremo, egocêntrico, narcisista, mimado e emocionalmente frágil. É uma paródia do homem que se acha “o cara” mas não passa de uma besta quadrada. 
Não estranha que o guru do Jair Bolsonaro, e seu clã, seja o Olavo de Carvalho, o autoproclamado filósofo, que declara veemente que não há nada que refute que a Terra seja plana.  DEUS salve o Brasil!!!

Mentiras

É muito comum optar pelo conforto da mentira do que aceitar a dura verdade. Tragicamente a mentira faz parte inerente da humanidade. Existem pessoas que afirmam que é com frequência mais fácil fazer as pessoas acreditarem numa Grande Mentira dita muitas vezes, do que numa pequena verdade dita apenas uma vez. Esta afirmação foi proferida pelo Ministro da Propaganda Alemã Joseph Goebbels no Terceiro Reich, a Alemanha Nazista. O ditado popular diz: é mais fácil conquistar uma pessoa mentindo para ela do que lhe dizendo a verdade. 
O conforto que temos é saber que a verdade sempre aparece, pois, é uma das regras fundamentais do tempo. No livro de Marcos 4: 22, lemos: “Pois nada há de oculto que não venha a ser revelado, e nada em segredo que não seja trazido à luz do dia.” Ela é aliada a vaidade, que aliás, é a fonte geradora de todas as mentiras. A mentira jamais deixa livre o mentiroso, ela prejudica o enganador e o enganado. 
A primeira forma de corrupção é a mentira e grande maioria dos nossos líderes e políticos, são corruptos de profissão e vocação, eles não existiriam se a verdade viesse à tona. Todo o glamour, toda a pompa, todo o aspecto de bom samaritano, toda autoridade, se transformaria num lodo fétido e sem vida, são lobos com vestes de cordeiro, de essência voraz e mortífera. Isso não é exagero, sim, a dura verdade da nossa nação.
A mentira e a corrupção estão presentes em todas as áreas, grandes empresários, juízes, desembargadores, ..., até mesmo padres e pastores, mas, sobretudo, nos políticos e suas politicagens, que permeiam todas as demais. Eles atrasam e acabam com o desenvolvimento da nação. Somente a verdade reveladora da mentira, pode acabar com essa festa nefasta.
Assim, se comparamos a luz como rima para a verdade, fazemos o mesmo comparando as trevas como rima para a mentira. Estamos passando por um momento de grandes revelações, muitas mentiras estão sendo desmascaradas. Os mentirosos assustados com o que pode acontecer, buscam de todas as formas confundir a verdade.
Enquanto esses mentirosos e suas organizações partidárias estiverem no controle da nossa nação, seus estados e município, e se mantiverem mentido para a população afirmando que estão trabalhando para o bem-estar social de todos, nunca jamais veremos a prosperidade do nosso país. Eles são frutos da mentira, se alicerçam sobre ela, vivem com salários, benefícios e uma serie de extravagancias que já se tornaram aceitais e normais. Essa gente, como todo o mentiroso, é desonesta. Se não fossem assim por que não abrem mão dessas regalias, iniciem as reformas cortando suas extravagâncias e dando o bom exemplo?!
Para os que pensam que viver num mundo sem mentiras é utopia, não contrário, mas, agrego que podemos mudar a condição e viver num mundo com predomínio da verdade. Para que isso ocorra em primeiro lugar precisamos deixar de mentir para nós mesmos, reconhecer-nos, educar-nos e esclarecer-nos. A história do nosso rico país, que não sai da condição de terceiro mundo, está repleta de casos de salvadores da pátria que enganaram toda a nação, mantiveram-na no subdesenvolvimento, e a venderam para o capital estrangeiro. Exatamente como está acontecendo, mas nunca de forma tão grotesca e vil como agora. A mentira aprisiona, mas, só a verdade liberta.