O Farroupilha
  1. Home
  2. Notícias

Por: Patrícia Peroni

Com fé e emoção farroupilhenses completam os “Caminhos de Caravaggio”

Com fé e emoção farroupilhenses completam os “Caminhos de Caravaggio”
(Foto: Divulgação)

O “Caminhos de Caravaggio” tem aproximadamente 200 quilômetros, que podem ser feitos a pé ou de bicicleta, opções que permitem a contemplação das paisagens naturais, plantações, construções do século passado, igrejas e a visita a atrativos culturais que valorizam as conquistas dos imigrantes e a reflexão. E foi com essa proposta que Daiana Maciel Cesar e Manuela Onzi completaram sua caminhada que teve duração de 5 dias. Hoje vamos conhecer um pouco como foi essa experiência para elas através de seus depoimentos.

“Cada situação, revelou-se de uma forma perfeita. Chegamos SEMPRE nos lugares certos, na hora certa. Cada dia possuía uma motivação. O 1º dia foi cheio de expectativas, o que fez com que tudo se tornasse mais desafiador. O 2º dia nos reservou erros no caminho e distâncias maiores, porém, no final, tudo deu certo. Para mim, o dia mais desafiador foi o 3º, pois estava cansada, já havíamos percorrido 80km e a ansiedade em chegar era imensa. Porém, minha companheira, neste dia, estava animada e isso fez com que eu me motivasse. Aqui, ressalto a importância de percorrer o caminho sempre acompanhada de alguém, pois quando as coisas estão difíceis, sempre haverá um ombro amigo para ajudar. Remeto-me à vida, pois sozinhos não vamos a lugar nenhum. Eu e minha companheira, sabíamos exatamente a hora de falar e a hora de silenciar. Tínhamos esta dúvida, o que iremos conversar durante todos estes dias? Mas, chegamos à conclusão que muitas vezes, de fato, o silêncio é o melhor remédio. Deixo o registro sobre a importância de cada um carregar seus pertences. No primeiro dia a mochila pesou, os ombros doíam, mas com o passar do tempo, parecia que minha mochila fazia parte de mim. Reflexão: Temos que, muitas vezes, aprender a lidar com nossos problemas e carregar nossas responsabilidades. O aprendizado é sempre possível, com o passar do tempo, tudo se torna mais leve e tranquilo.
Tenho que agradecer imensamente minha companheira, pois ela me ensinou que por mais que a dor seja extrema, não podemos desistir dos nossos objetivos.

Na vida, grandes conquistas não são realizadas de forma fácil. Sentimos medo, frio e cansaço. Mas, ao término de tudo, realizadas por termos conquistado nosso objetivo maior: a transformação pessoal e da nossa amizade.
Com relação ao percurso, declaro que fiquei surpreendida! As paisagens são perfeitas. Como forma de sugestão, aconselho que quem não se sente à vontade de fazer os caminhos a pé, os realize de carro, com a família e amigos. Certamente valerá a pena.” 

– Manuela Onzi

 


“É difícil falar dos Caminhos de Caravaggio, porque é falar de 200km, vivenciando as MELHORES experiências da vida. Chegou o tão esperado dia 26 de julho com TODO o planejamento feito antecipadamente, partimos.

Mochilas nas costas e um único objetivo: Chegar ao Santuário de Nossa de Caravaggio em Farroupilha. A caminhada oficialmente começou quando recebemos o primeiro carimbo no nosso passaporte de peregrino (lá em Canela). Esse documento serve para registrar, através dos carimbos, o trajeto e o ritmo da caminhada. Ele é a garantia para receber o certificado de peregrinação. Então... a cada percurso, você tem que ter no mínimo dois carimbos de algum estabelecimento que passou. Assim partimos, cheias de entusiasmo e muita determinação.

Eu poderia descrever cada dia, mas, o texto ficaria tão longo quanto o caminho. Foram dias intermináveis, cansativos, mas, cheios de experiências incríveis... No Caminho se anda por cidades, vilas, estradas e matas, sempre procurando e seguindo as setas amarelas. Elas aparecem pintadas em muros, postes, árvores e até no chão. Em alguns lugares estão a cada 30 metros, em outros a cada quilômetro. Quando se caminha por um longo tempo e não às vê, a sensação de estar perdida é assustadora, a única coisa que você deseja ver nos próximos passos é uma seta amarela. Porém, no terceiro dia ninguém (nem o mapa) nos mostrava que o Seminário não ficava no caminho das setas... Adivinha??? Mas, contratempos acontecem, mesmo com planejamento. Só que no caminho você encontra pessoas que parecem “cair do céu”, são anjos que aparecem na hora e no lugar certo. São o combustível para continuar os próximos quilômetros. Assim, o terceiro dia terminou perfeitamente porque é como que essas pessoas falassem: “tenha fé, tudo vai dar certo” e no final tudo dá certo mesmo!

Você se torna emotiva e se vê chorando em vários pontos da caminhada. Apenas sabe que está chorando porque sente as lágrimas caindo em direção aos seus pés. Elas podem ser de dor, saudades, de realização... 

Posso dizer que você aprende uma lição por dia... Conhece pessoas muito diferentes de você, a comida que você come é a que elas têm para te oferecer e não a que você quer, mas, naquela hora aquilo se torna um banquete. A cama e as cobertas não são as suas, mas, naquela hora são as melhores do mundo... aí você aprende que tudo isso é gratidão e que nada no mundo acontece por acaso, tudo tem um propósito.

Após 200km avistamos o Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio.... Chorando e com o vitorioso sentimento de ter superado cada km. Só tenho gratidão eterna pelo convite e por esses dias juntas, tenho certeza que sozinha eu não seria capaz.  Aprendi, como mãe, que na vida, quando eu desejar muito alguma coisa, nem a maior dor, vai fazer eu desistir porque eu sou o exemplo para alguém.” 

– Daiana Maciel Cezar