O Farroupilha
  1. Home
  2. LUIZ CARLOS RUSCHEL GOMES

Muitos não acreditaram

No ano da graça de 1969, portanto há 50 anos. O astronauta americano Neil Amstrong na Apollo II, junto de dois companheiros aterrissou na lua, momento em que capacidade cientifica do homem ultrapassava o limite da tecnologia, algo irrealizável, sonho que parecia ser impossível, verdadeira utopia, mas aconteceu, a fantástica conquista da humanidade, o homem pisando em solo lunar. Na época era temporada da Guerra Fria, o período histórico de debates diplomáticos, estratégias e conflitos indiretos, momentos de ânimo acirrado  entre as duas grandes potências: Estados Unidos e União Soviética.
As duas nações desejavam, disputavam a superioridade mundial, a supremacia na exploração e tecnologia espacial e com isso a hegemonia política, econômica e militar, na tentativa implantar em todos outros países os seus sistemas ideológicos e econômicos e dessa forma o mundo poderia ser americano capitalista ou soviético comunista. Uma das formas para demonstrar essa superioridade e poder, a corrida espacial,  iniciou-se em 1957 com o lançamento do foguete soviético Sputnik, a primeira grande conquista russa. Os soviéticos na competição continuaram na frente, Yuri Gagarin foi o primeiro astronauta a ir para o espaço. Os americanos não poderiam perder a corrida, reagiram e assim, Amstrong desembarcou na lua e afirmou: a Terra é azul. O feito inédito foi televisionado, imagens ao vivo, o ibope na época registrou a maior audiência, para que não houvesse dúvida, para que ninguém pensasse ser uma fraude, uma armação para os russos. O esforço dos que trabalharam nesta vitoriosa missão alterou a história da humanidade. Era verdade: o homem pisou no satélite natural da Terra. Muita gente não acreditou, principalmente os russos. Afirmaram que se tratava da teoria da conspiração de todos os tempos, uma farsa da NASA, uma mentira americana, um achaque a descoberta do Tio Sam. 
Americanos dizem: querem mais autenticidade do  que o fato da bandeira dos Estado Unidos estar fincada em solo inóspito?
Os americanos são insuperáveis na arte cinematográfica, o mundo reconhece esse mérito. Conseguem tomadas de cena magníficas, cenários espetaculares. Esse negócio de chegar na lua, afirmam os russos, foi mais filme sofisticado, enganoso, irrelevante, surreal. É preferível  assistir um filme americano também mentiroso de bang-bang. O astronauta russo Gagary, muito antes fez a mesma afirmação, quanto a cor da Terra . No espaço sideral não foi encontrada nenhuma estrela, nem da Rede Globo. Trata-se  de mais um  detalhe do excêntrico filme. Os russos ainda perguntam:  os americanos não voltaram à lua por quê ? ....lá não tem farmácia São João, nem agência da Caixa Federal.