Centenário do nascimento de Leonel Brizola ganha homenagens

Um dos principais políticos que escreveram o nome na história do país, se vivo fosse, completaria 100 anos neste sábado, dia 22 de janeiro. Leonel de Moura Brizola, gaúcho de nascimento e carioca por adoção, vai ganhar homenagens em vários pontos do país. Foi o único político a ser eleito governador por dois estados distintos, pelo Rio Grande do Sul no início dos anos 60 e depois pelo Rio de Janeiro, estado que governou duas vezes, em 1983 e 1991.
Nascido em 22 de janeiro de 1922, em Carazinho, no Rio Grande do Sul, Brizola morreu em junho de 2004, vítima de um edema pulmonar seguido de infarto.
Brizola entrou para política na década de 1940, eleito deputado estadual pelo PTB. A partir daí ocupou cadeira na Câmara Federal, foi prefeito de Porto Alegre e, depois, governador do Rio Grande do Sul.
Em 1962, transferiu seu domicílio eleitoral para a antiga Guanabara, onde se elegeu deputado federal.
A partir de 1964, viveu no exílio, retornando ao Brasil em 1979, quando fundou e presidiu o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Neste período de criação do PDT, contou com o fiel apoio do farroupilhense Lidovino Fanton, que por seu conhecimento jurídico e capacidade de articulação foi decisivo na implantação do partido no Brasil. Brizola e Fanton, na verdade inicialmente pretendiam retomar o PTB, mas uma articulação política acabou tirando o partido das mãos de Brizola e passando a sigla para Ivete Vargas, uma sobrinha do ex-presidente Getúlio Vargas.
Leonel de Moura Brizola seguiu ativamente na política até sua morte, incluindo a disputa da eleição presidencial de 1989. Por pouco não foi para o segundo turno, o que poderia ter mudado os rumos políticos do país.
Nesta edição e também em colunas nas próximas edições o jornal O Farroupilha vai resgatar algumas histórias de Brizola e de alguns de seus apoiadores históricos, passando também pelas origens e história do PDT em Farroupilha.