Fenakiwi 2022 representa a retomada da festa e da kiwicultura

Para o presidente da Fenakiwi, engenheiro agrônomo e empresário, Gervásio Silvestrin, a edição de 2022 representa a retomada em vários sentidos. Retomada da Fenakiwi como a maior festa de Farroupilha, com realização bianual; retomada após a pandemia, pois a edição de 2020 precisou ser suspensa; e a retomada da cultura do kiwi: “estamos trabalhando com uma nova perspectiva, variedades, pesquisa, tecnologia e mercado favorável”, explica o presidente.
Silvestrin está fortemente ligado à história do kiwi no município, história esta que iniciou em 1987, quando o engenheiro agrônomo visitou a produção de kiwi no Chile e percebeu que a fruta, originária da China, precisava de um clima temperado, frio e úmido para produzir bons frutos. “Na época, os agricultores estavam insatisfeitos com a produção da uva e percebi que o kiwi poderia ser uma alternativa, especialmente porque em Farroupilha teríamos o clima perfeito, além disso, mercado, pois até então, todo o kiwi consumido no Brasil era importado”.
Do Chile, Silvestrin trouxe o conhecimento técnico e cinco mudas. Pouco tempo depois, ele foi chamado por Itacir Feltrin, pai do atual prefeito de Farroupilha, Fabiano Feltrin, porque ele havia recém comprado um terreno e descoberto que na área tinham três pés de kiwi, mas que não produziam. “Acontece que, como a araucária, o kiwi é uma planta dióica, ou seja, para produzir as plantas fêmeas precisam ser polinizadas pelo pólen de uma planta macho e o que tínhamos lá no Feltrin eram somente plantas fêmeas, floresciam, mas não davam frutas. Em 1988 consegui o pólen de um produtor de kiwi de Ivoti e fiz a polinização. Já em 1989 as plantas deram uma excelente produção. Somado a isso, os agricultores Guidolin e Borsatto também colheram alguns kiwis em suas propriedades, o que nos empolgou e comprovou que Farroupilha poderia tornar-se o principal produtor de kiwi do Brasil, nos levando a importar mudas do Chile”, lembra.
Animados com a possibilidade de uma nova cultura agrícola e vislumbrando o desenvolvimento econômico que traria para Farroupilha, nascia a 1ª Fenakiwi, em 1991, na administração do prefeito Clóvis Zanfeliz. Porém, para a primeira festa, foi preciso importar a fruta, visto que as plantas ainda necessitavam de mais um ano para começar a produzir. Farroupilha chegou a ter 130 hectares do município destinados à produção de kiwi, porém, por volta de 2010 até 2016 as plantações foram atacadas pelo fungo Ceratocystis Fimbriata que matava a planta e praticamente dizimou a produção de kiwi no Brasil. “Foi difícil identificar, pois este fungo atacou o kiwi somente em nosso país.” Descobriu-se que o fungo se propagava especialmente por meio da tesoura contaminada utilizada para fazer a poda”.
Há alguns anos, a produção vem sendo retomada e dados do Escritório Municipal da Emater de Farroupilha apontam que hoje o município possui aproximadamente 60 hectares de área plantada de kiwi, produzindo uma média de 25 toneladas por hectare (safra de 2021) e cerca de 50 famílias envolvidas na produção.
Para a retomada foi necessário investir em pesquisa e tecnologia para o desenvolvimento de mudas sadias. “Em parceria com a Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, buscamos plantas de kiwi resistentes ao fungo, pois esta solução estava sendo estudada a pedido da Nova Zelândia, um dos maiores produtores do mundo”, explica Silvestrin. As plantas resistentes ao fungo são porta-enxertos que serão enxertados e protegerão as plantas quando a doença estiver no solo. Outra importante medida adotada para recuperar a produção do kiwi são as práticas corretas de plantio e manejo evitando que o fungo se propague, além de fungicidas apropriados para a prevenção de doenças.


Variedades da fruta:

  1. Bruno – formato alongado com polpa verde e possui pelos. É um dos mais plantados em Farroupilha.
  2. Elmwood, Hayward e Monty – formato mais arredondado com polpa de coloração verde e pelos.
  3. Farroupilha, Golden King, MG06 e Yellow King – formato arredondado e não tem pelos. Caracterizam-se pela polpa amarela, sendo mais adocicados que as variedades de polpa verde.
  4. Farroupilha está iniciando o cultivo de variedades consideradas mais nobres e saborosas, de polpa amarela como a Soreli, de origem italiana que se adaptou muito bem ao nosso clima. Recentemente foram introduzidas da China, variedades de polpa vermelha que ainda estão em fase de pesquisa.

Atualmente 80% do kiwi consumido no Brasil é importado e os principais fornecedores são o Chile, Itália e Nova Zelândia. Diante disso, o mercado interno brasileiro está favorável para ser conquistado. Silvestrin afirma que o incremento na produção exige do agricultor investimento alto na estrutura para o plantio, irrigação, cobertura de tela para a proteção do vento e de granizo, porém, este custo é compensado pelas vantagens de ser uma cultura menos exigente e muito rentável. Pode ser produzida de forma orgânica, o período de colheita é maior que o da uva, por exemplo, e o preço de venda também é um atrativo aos produtores rurais. Voltamos a ter o kiwi como um importante protagonista econômico de Farroupilha, capaz de movimentar toda uma cadeia de fornecedores da Serra Gaúcha, vislumbra Silvestrin.

6º Seminário Nacional do Kiwizeiro
No dia 08 de julho, no auditório da Universidade de Caxias do Sul (Rodovia dos Romeiros, 567 – Farroupilha), será realizado o 6º Seminário Nacional do Kiwizeiro. Organizado por um grupo de profissionais, entidades, empresas, universidades e Prefeitura de Farroupilha, o evento discutirá ações e alternativas para a produção do kiwi.

Programação

8h – Inscrições
8h30min – Abertura oficial
9h –
Tendências e Panorama Mundial da Produção e Mercado do Kiwi
Palestrante: Engº. Agrº. MBA Carlos Andrés Cruzat Gonzales – COMITÉ DEL KIWI DE CHILE
Cultivares de kiwizeiros no Brasil
Palestrante: Bióloga, Dra. Cláudia Martellet Fogaça – SEAPDR/DDPA
Moderador: Engº. Agrº. Gervásio Silvestrin – Silvestrin Frutas
10h20min – Intervalo
10h35min
Modelos de negócios para lançamento de novas cultivares Palestrante: Engº. Agrº. Dr. Márcio Pacheco – EMBRAPA
Moderador: Engº. Agrº. Gervásio Silvestrin – Silvestrin Frutas
11h05min – Debate
12h – Almoço
13h30min
Importância da polinização para a qualidade de frutos de kiwi
Palestrante: Engº. Agrº .Dr. Paulo Vitor Dutra de Souza – UFRGS
Rastreabilidade na cultura do kiwizeiro
Palestrante: Engº. Agrº. Dr. Samar Velho da Silveira – EMBRAPA – DDR MAPA
Moderador: Engº. Agrº. Dr. Marcos Botton – EMBRAPA
14h50min – Intervalo
15h10min
Ocorrência, disseminação e manejo da murcha-de-Ceratocystis em Kiwi
Palestrante: Prof. Dr. Acelino Couto Alfenas – UFV
Moderador: Engº. Agrº. Dr. Marcos Botton – EMBRAPA
16h – Debate
16h40min – Encerramento

Informações:
Secretaria Municipal de Agricultura – Fone: (54) 3261.6931
Escritório Municipal da Emater/RS Ascar de Farroupilha – Fone: (54) 3261.1735.