Máscaras: erros e acertos

Viraram estereótipo universal. Sua ausência é punida como invocação do diabo na Idade Média. Verdade única, inapelável. Algumas pessoas consideram prepotentes aqueles que não ás usam na rua. Entretanto, essa consideração decorre da falta de mais conhecimento no assunto. O certo é que máscara só serve para evitar perdigotos, mas nem o mais eficiente perdigoteiro os emite a mais de metro. Então não tem serventia fora de aglomerações intensas e em locais fechados. Lavar as mãos, manter distância conveniente, evitar contato físico suspeito é muito mais eficiente. Máscaras não protegem contra o vírus em ambientes abertos e arejados e, ao contrário, se a atmosfera contiver o vírus, o concentrarão nas máscaras, ou seja, perto da boca. Ao lado disso prejudicam a respiração, porque o ar expirado, rico em dióxido de carbono, é reinalado, aumentando a acidificação do sangue e favorecendo a entrada do vírus no organismo. Correr de máscara então é um absurdo fisiológico: mais gás carbônico é absorvido num momento em que o organismo precisa é de mais oxigênio, além é claro da importância de respirar ar puro para a imunidade do organismo. Sim! O uso abusivo e crônico das máscaras faz com que as pessoas não fiquem expostas a patógenos que são importantíssimos para o bom funcionamento do nosso sistema imunológico. Como a máscara só serve para evitar perdigoto até um metro de distância, é triste ver incautos caminhando mascarados numa rua deserta ou as usando sozinho dentro de um automóvel. É um atentado a saúde pública e ao bom senso. Obviamente que em um momento pandêmico com grandes números de casos de transmissão viral, entendo que talvez seja melhor pecar pelos excessos – como aconteceu -, mas neste momento em que as taxas de contaminação do vírus estão baixas em decorrência do bom desempenho da vacinação, continuar exigindo, com leis malucas, que a população continue sendo obrigados a usar tais equipamentos em locais abertos e arejados se torna uma questão de saúde pública. Segundo a OMS, “em cenários como o Brasil, onde há transmissão comunitária há indicação do uso de máscaras sempre que as pessoas saírem para AMBIENTES COLETIVOS fora de casa”.
Mas, é claro que quando ficarem demonstrados todos os equívocos de conduta, a população obediente e crente, ficará com as máscaras nas mãos.

Thiago Brunet
Médico e Vereador de Farroupilha

PERDIGOTOS
São gotículas de saliva que são expelidas através da fala, espirro ou tosse.

PERDIGOTEIRO
Aquele que lança perdigotos quando fala, espirra ou tosse.