Educação ambiental é o caminho

O presidente do PRB em Farroupilha, Tiago Ilha assumiu a Secretaria do Meio Ambiente no dia 22 de maio

Ilha estava na função de vereador desde 02 de janeiro de 2017 e ao longo de sua trajetória inseriu na Casa Legislativa projetos como o Certificado Destaque Cultural, o Leitura Solidária e o Projeto RESPEITAR, este último visando o combate a poluição sonora. Vindo ao encontro de sua preocupação com o meio ambiente criou no final do ano passado a Frente Parlamentar de Apoio a Reciclagem, da qual foi eleito pelos colegas vereadores como presidente. Em entrevista ao Jornal O Farroupilha o secretário esclarece dúvidas e fala de novos projetos.

Conhecendo a população de Farroupilha e sabendo as reais dificuldades, o que te norteia como secretário do Meio Ambiente?
TI:
Quando assumi a secretaria percebi que é um setor de muitos desafios. O meu trabalho vai ser norteado por um pilar que é baseado na educação ambiental como premissa principal, educar é preservar.

Educar é um processo a longo prazo já existe algum projeto inicial que inclua todos da comunidade?
TI:
Sim, existe um projeto A Farroupilha que quero bem. Qual é a Farroupilha que a população quer? Este projeto é educar as pessoas a trabalhar com formas de respeito ao cidadão através de educação ambiental e de respeito ao meio ambiente. O projeto é norteado sobre a separação adequada do lixo e como o lixo reciclável pode virar renda, apoio a reciclagem e toda a cadeia de reciclagem.

Reeducar a população é entrar na casa de cada morador como isso vai ser feito?
TI:
Já estamos provocando um encontro com todos os síndicos da cidade, com todos os presidentes de bairros, todos os lideres comunitário do interior, com todas as escolas. Acredito no diálogo com a população.

Como as escolas serão inclusas nos projetos futuros da secretaria?
TI:
O projeto ECOPONTO vai ser ampliado e trabalhado nas escolas em Nova Milano, Primeiro de Maio e Industrial. Já existe um Ecoponto na rua Carlos Fetter. Nele se deposita papel, plástico, vidro, medicamentos, papelão, óleo de cozinha e metal. A campanha, coleta e armazenamento fica a responsabilidade da escola e comunidade escolar. Sendo assim gera renda a escola. Eles reciclam, preservam o meio ambiente e ganham.

A cidade vem crescendo cada dia mais, novos bairros estão sendo construídos, como fica a arborização de ruas e praças?
TI:
Existe o plano municipal de arborização e o plano municipal de educação ambiental. São dois planos que vão para a Câmara de Vereadores. Passeando hoje pela nossa cidade percebemos que muitas raizes de árvores tomaram conta das calçadas e galhos nos fios de luz. O projeto educativo de arborização vai sinalizar ao morador que árvore plantar e quais cuidados tomar. Visando não encontrar calçadas arrebentadas.

Licenciamento ambiental costuma ser um processo burocrático e demorado. Existe forma de dar agilidade a esses processos?
TI:
Está sendo criado o Programa Municipal de Simplificação do Processo do Meio Ambiente. A temática é dar agilidade e estudar os processos que serão digitalizados para as pessoas poderem acessar de casa e imprimir o que precisa ou acompanhar os passos, dando agilidade e transparência. Talvez precise alterar leis, acrescentar leis, suprimir leis. Para isso uma equipe técnica da secretária está fazendo estudos e em um prazo de 60 dias o projeto será entregue na Câmara de Vereadores.

Muito se fala da importância da divisão do lixo, lixo seco e orgânico não pode se misturar. É visível a falta de containers pela cidade? Vai existir um investimento?
TI:
Vai ser feita uma aquisição de 50 containers pela Ecofar para atender a falta que existe e entregue no início do mês de agosto. Antes do final do ano será feita uma aquisição maior de containers que serão colocados em pontos mais críticos da cidade.

Referente aos recicladores vai existir um apoio ou uma fiscalização maior?
TI:
Está sendo criada a lei municipal de apoio a reciclagem. O que vai estar previsto nesta lei? Um regramento para as associações, cooperativas e pessoas autônomas para que eles possam se cadastrar. Fazendo este cadastro podemos ter controle de quem são e dentro do programa vai ter um pacote de auxilio como distribuição de epis e auxilio não só ao catador, mas também a sua família.

Sobre a falta de água que muitos bairros vem sofrendo já tem uma solução?
TI:
Sabemos que a Corsan está prestando um péssimo atendimento a nossa cidade. A Corsan chegou ao limite, nós, o município, a cidade não podemos mais aceitar o serviço que a Corsan vem prestando. Ou eles melhoram o serviço ou vamos buscar um novo caminho. Estamos hoje com obras paradas que é a estação de tratamento de esgoto. Paradas no bom sentido, pois não está evoluindo conforme o contrato. É um absurdo imaginar que sofremos com a falta no abastecimento de água. Existe uma obra contratada com os canos há 10 meses guardados no lado da central de tratamento da Julieta e eles não podem ser colocados pois não tem uma liberação do Daer. Corsan e Daer ‘são filhos do mesmo pai’ eles que se resolvam com o estado. A cidade não pode mais ficar sem água. Precisamos que a cidade tenha uma água que não falte qualidade e que possamos ter um esgoto tratado; Não vamos permitir mais que nossa cidade não tenha um metro de esgoto tratado.

Já aconteceu uma reunião com a Corsan sobre os problemas enfrentados?
TI:
Sim, foi feita uma reunião com a Corsan, uma visita de campo onde andamos por toda a cidade. Foi estipulado, precisamos de uma resposta da companhia, que a companhia apresente resposta não com projetos no papel e sim com ações, duplicações das adutoras, com os tubos de armazenamentos que já foram licitados e não foram colocados, com o término da primeira fase da Estação de Tratamento. Ou eles resolvem os problemas da cidade ou vamos buscar novas parcerias.

Existe uma prazo de entrega da Corsan referente as cobranças feitas?
TI:
Não colocamos um prazo de entrega, precisamos de respostas imediatas imaginamos que em 100 dias alguma coisa deva ser apresentada à cidade.

Caso a Corsan não apresente respostas existe um segundo plano?
TI:
Já estamos estudando outros caminhos. Um dos caminhos é parceria público e privada. Não descartamos o modelo de municipalizar. Ecofar pode ser também uma alternativa. Existem estudos para não sermos pegos de surpresa.

Sobre resíduos sólidos, qual é o futuro do aterro sanitário em Farroupilha?
TI:
Existe um aterro a céu aberto e isto é um problema que temos que resolver O projeto A Farroupilha que quero bem vai discutir este assunto junto a comunidade.

Todos os projetos encaminhados a Câmara de Vereadores estarão funcionando a partir de dezembro?
TI:
Tudo deve ser votado e até o final do ano é o meu compromisso com a comunidade entregar tudo funcionando.

Ano que vem tem eleição. Tiago Ilha é um nome possível nas urnas?
TI:
Meu nome está à disposição do partido para as eleições do ano que vem. Meu compromisso hoje é com a Secretaria do Meio Ambiente. Tenho uma equipe qualificada. A Ecofar é uma empresa parceira. Meu nome já esteve a disposição nas últimas eleições. Vai estar nas próximas. Ao que ainda não sei. Cabe ao partido se organizar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *