SAÚDE – Parto empelicado

Texto de Thiago Brunet

Na segunda semana do mês de janeiro publiquei nas minhas redes sociais um vídeo que mostra um parto empelicado, que quer dizer que o bebê saiu envolto na bolsa amniótica (película fina e transparente de proteção) ao ser retirado do útero da mãe. É um dos partos considerados difíceis de ocorrer, pois de acordo com os dados publicados em revistas científicas da área da saúde, a chance disso acontecer é 1 a cada 80 mil nascimentos, ou seja, presenciar um acontecimento como este, na maioria das vezes, é um momento único na vida de um profissional. Ainda, só o fato de ser empelicado não gera nenhum risco para a mãe ou o bebê, mas claro que isso não quer dizer que o risco seja zero, afinal, toda cirurgia possui uma porcentagem de risco.
Outra curiosidade deste parto é a vantagem para o recém-nascido, já que é a bolsa que o protege contra possíveis traumas, como fraturas ou escoriações, além é claro da proteção contra infecções que são transmitidas da mãe para o bebê, como é o caso do HIV.
Por fim, gostaria de parabenizar todas as mães – independente de como nasceu o bebê – pela forma aguerrida que durante os nove meses proporcionam o melhor lugar do mundo para o fortalecimento e desenvolvimento do novo ser vivo que irá se formar, o seu corpo. E, depois do nascimento – depois de fazer aquilo que somente as mulheres são capazes – continuarem juntos com seus filhos nutrindo-os e dando seus primeiros ensinamentos para que posteriormente se tornem maduros e prontos para o enfrentamento da vida.